Área da Porcellanati será revertida esta semana para dois novos empreendimentos

Imagem: Reprodução

Quando a Porcellanati encerrou suas atividades em Mossoró em 2014, a promessa que havia era de efetivação do tal pólo cerâmico, que atrairia outras empresas-satélite e milhares de empregos. Tudo passou de um engodo. No auge de sua produção, em 2010, mantinha pouco mais de 300 empregos. No entanto, após cessar sua produção, no ano seguinte, em 2015, a Prefeitura entrou com processo de reversão do terreno, já que não havia mais serventia para a empresa.

O processo caminhou lentamente, sob o pretexto de reabertura da empresa, discurso que sempre ganhava força em anos eleitorais. A ex-prefeita Rosalba Ciarlini terminou seu mandato sem que o processo fosse concluído, que simplesmente desapareceu. Uma ação de restauração de autos foi ingressada para saber em que situação estava o pedido de reversão.

O prefeito Allyson Bezerra, por sua vez, já avisou que vai assinar o decreto para que o terreno onde a Porcellanati foi edificada volte para o Município ainda esta semana. “Temos outros projetos e propostas para lá. O terreno passou todo este tempo parado, sem gerar empregos, nem impostos”, explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Franklin Filgueira.

No lugar da antiga fábrica de cerâmica será instalada a Usibrás e uma fábrica de pré-moldados do grupo Olinda. Já no lugar onde hoje fica Usibrás, irá abrigar um grande ataracejo do grupo maranhense Mateus e uma filial da loja natalense Carajás.

Com a instalação das 3 empresas, o município deverá ter um incremento de de cerca de 500 empregos diretos, além de outros indiretos.

Blog do William Robson