Câmara autoriza reequilíbrio do Orçamento do Município

Imagem: Edilberto Barros

O plenário da Câmara Municipal de Mossoró aprovou, nesta terça-feira (23), o Projeto de Lei Ordinária do Executivo (PLOE) 09/2021, que autoriza o Poder Executivo a abrir crédito adicional, tipo suplementar, no Orçamento do Município para o exercício de 2021.

Baseado na Lei 4.320/64, o valor do crédito suplementar é de R$ 64 milhões e, segundo a Prefeitura, visa reequilibrar o orçamento. O Executivo explica, na justificativa ao projeto, que o município sofreu impactos, com despesas não previstas e especificadas no orçamento de 2021.

Elenca R$ 13,3 milhões de Despesas de Exercício Anterior (DEA); R$ 816 mil de Indenizações a fornecedores e prestadores de serviços diversos; R$ 29,6 milhões pagos através de bloqueios judiciais para pagamentos de funcionários demitidos, fornecedores e prestadores de serviços diversos.

Também R$ 9,3 milhões de valores pagos no combate à pandemia de Covid-19 a fornecedores e prestadores de serviços de saúde; R$ 4,8 milhões de pagamento de precatórios; R$ 6,7 milhões para folha de pagamento referente à parte do 13º de 2020, valores fixos e variáveis de dezembro de 2020.

“Os valores destacados, quando somados, atingem a cifra de R$ 64,6 milhões que, malgrado (apesar de) não estejam contemplados no orçamento de 2021, foram pagas e projetaram, por extensão, desequilíbrio orçamentário nas contas municipais”, diz a mensagem ao Projeto de Lei Ordinária do Executivo (PLOE) 09/2021.

O projeto contou com 12 votos favoráveis. Marckuty, Genilson Alves, Wiginis do Gás, Edson Carlos, Raério Cabeção, Naldo Feitosa, Ricardo de Dodoca, Lucas das Malhas, Carmem Júlia, Lamarque Oliveira e Omar Nogueira da bancada de situação e o vereador Didi de Arnor, da oposição, foram a favor do projeto. Os demais não compareceram ou se ausentaram.