Chuvas: maio caminha para ser o mês mais chuvoso de 2021 em Mossoró

Imagem: Wilson Moreno

O mês de maio caminha para ser o mais chuvoso de 2021 em Mossoró por conta das últimas chuvas registradas no município nesses primeiros dez dias do quinto mês do ano. De acordo com dados da Secretaria Municipal de Agricultura e Desenvolvimento Rural (SEADRU), faltam pouco mais de 10 milímetros para que o maio ultrapasse o mês de março.

O terceiro mês do ano é até o momento o mais chuvoso de 2021. Março somou 152,6 milímetros. Até essa segunda-feira, maio acumulava 142,6mm. Esse índice pluviométrico corresponde somente aos 10 primeiros dias. O professor de Ciências Naturais Alciomar Lopes explica que esse volume de chuvas em maio está sendo tratado como surpresa porque historicamente as chuvas nesse mês são menores do que nos outros meses da chamada quadra chuvosa na região.

“Conforme os dados que nós temos aqui na meteorologia, março tem 152,6 milímetros e maio, em dez dias, temos 142,6mm, uma diferença de 10 milímetros e ainda temos 20 dias pela frente. A meteorologia está mostrando que o índice pluviométrico para maio será bem mais elevado e isso é uma surpresa para nós que fazemos esse trabalho, pois geralmente no mês de maio é um mês em declínio pluviométrico”, contou.

O técnico da Secretaria de Agricultura diz ainda que dois fatores contribuem para essas chuvas em maio. Um deles é bem conhecido na região e que estava atuando no início do ano próximo ao estado do Amazonas e o segundo bem menos citado por aqui.

“Existem dois fenômenos que estão atuando. O primeiro é a Zona de Convergência Intertropical, que no início do ano se encontrava lá próximo ao Amazonas, próximo ao Peru (país). A mudança climática nos dois oceanos, no Pacífico neutralizou e no Atlântico aqueceu, fez com que a Zona de Convergência descesse até nosso estado. Hoje ela se localiza entre o estado do Ceará e o Rio Grande do Norte provocando esse alto índice de pluviometria. O segundo fator é a chamada Ondas de Leste, ou conhecida como Cavado. Essas ondas se formam próximas ao Centro-Oeste e vai subindo onde se encontra com a massa quente da nossa região o que provoca essas chuvas finas que a gente está vendo e que elas podem se prolongar até agosto”.