Município reforça combate ao Aedes Aegypti para conter avanço das arboviroses

Imagem: Reprodução

Com o período chuvoso ainda em andamento, a Prefeitura de Mossoró acelera as ações de fiscalização e combate ao mosquito Aedes Aegypti, inseto causador de arboviroses como Dengue, Zica e Chikungunya. O poder público municipal executa as ações por meio dos agentes de endemias e com base no Levantamento do Índice de Infestação Predial (LIRAa), recém concluído.

O levantamento revelou que localidades como Planalto 13 de Maio, Dom Jaime Câmara e Alagados, apresentam um índice elevado de infestação do mosquito. Por esta razão, as equipes redobram a atenção nas zonas que ostentam os índices mais preocupantes.

Em Mossoró a amostragem foi feita a partir da inspeção de 6.250 imóveis. Na cidade o Índice de Infestação Predial ficou em 4,1%. “O índice só é considerado de baixo risco quando é até 1%. De 1% até 3,9% é médio risco e acima disso é alto risco”, explica Sandro Elias, responsável pelas ações de combate às arboviroses em Mossoró.

Apesar da pandemia da Covid-19, o trabalho não pode parar. Os agentes de endemias atuam respeitando os protocolos de biosegurança durante as visitas nos imóveis. “Nos bairros que apresentaram maior infestação estamos intensificando a presença dos agentes. Contudo, precisamos contar com a ajuda da população para que cada pessoa também faça a sua parte. É preciso evitar caixas d’água abertas, lixo no quintal e vasos de plantas abandonados”, alerta Sandro Elias.

De forma isolada, chama a atenção o LIRAa apresentado pelos seguintes bairros:

Planalto 17,6%
Alagados: 10%
Pintos: 8,7%
Paredões: 7,2%
Dix Sept Rosado: 7,1%
Boa Vista: 6,9%
Centro: 0%
Santa Júlia: 0,6%
Lagoa do Mato: 1,2%
Redenção: 1,2%