Porcellanati tem longo histórico de dívidas milionárias com ex-empregados de Mossoró

Imagem: Reprodução

As promessas e metas não cumpridas pelo grupo Itagres, através da instalação da empresa Porcenallati foi o que motivaram a Prefeitura de Mossoró, neste mês de novembro, a pedir a reversão do terreno do empreendimento, localizado às margens da BR-304, para propriedade do município. Outro fator relevante que deve ser lembrado é a milionária dívida do grupo com os ex-empregados que se dedicaram à empresa.

Vale lembrar: em julho de 2019, vários ex-trabalhadores fizeram movimento e chegaram a interditar a BR-304 em frente à indústria fechada desde 2014, cobrando o pagamento de seus direitos trabalhistas. Na época, eram mais de R$ 3,5 milhões de reais devidos pela Porcellanati referente a rescisões de contratos.

No mesmo ano, ex-empregados da Porcellanati foram à justiça pedir a falência da empresa para pagamento de seus compromissos trabalhistas com cerca de 151 ex-trabalhadores. São famílias que até hoje não receberam pelo devido trabalho feito para o grupo Itagres.

A empresa Porcellanati foi construída com recursos emprestados pelo Banco do Nordeste na ordem de R$ 70 milhões. Para começar a funcionar, a empresa recebeu a cessão do terreno do Município, com a obrigação de retornar à geração de empregos e renda. O que nunca ocorreu de fato.

Desde de sua primeira paralisação de serviços, o grupo vem enrolando com promessas e mais promessas para gerar emprego. Os mais atingidos, dentro do histórico de promessas, são os ex-empregados do grupo.

Do Rede News 360